Destaques

Lula sanciona Lei que muda o dia do radialista.

Informação: ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão - 25/07/2006

O Diário Oficial de hoje, 25.05, divulga a sanção pelo Presidente da República, da Lei nº 11.327, que institui que o Dia do Radialista a ser comemorado, todos os anos, no dia 7 de novembro, data de nascimento de Ary Barroso.

O Projeto de Lei foi aprovado pelo Senado Federal no dia 24/07. O deputado Sandes Junior PP/GO, autor da proposta, justificou: "além de prestar uma homenagem a Ary Barroso", que a data reconhece a importância do Rádio e da categoria profissional dos Radialistas "no contexto da história do país”.

Ary Evangelista Barroso, mineiro de Ubá, nasceu em 1903. Em 1920, com o pretexto de cursar a Faculdade Nacional de Direito, mudou-se para o Rio de Janeiro. No ano de 1921 matricula-se na Faculdade, no ano seguinte foi reprovado, mas já era músico contratado de orquestra. Em 1929, forma-se em Direito e resolve dedicar-se apenas à música. Em 1930, com a marcha “Dá Nela” ganha o concurso da Casa Édison, com o prêmio, em dinheiro, casa-se com Ivone Belfort de Arantes. 1932, na Rádio Phillips foi contratado como pianista, mas vira locutor esportivo, humorista e animador. Na Rádio Cruzeiro do Sul, em 1937, lança o programa  "Calouros em Desfile". Em 1938 foi contratado pela Rádio Tupi atuando como: locutor, comentarista, humorista e ator.  Viaja aos Estados Unidos, em 1944 e compõe a música "Rio de Janeiro", para o filme “Brasil'”, indicado ao Oscar. Nas eleições de 1946, foi eleito o segundo vereador mais votado do Rio, Distrito Federal. Em 1960, foi nomeado Vice-presidente do Departamento Cultural e Recreativo do Clube de Regatas Flamengo, outra paixão. Ary morreu, no Rio, em 1964. Como bom boêmio de cirrose hepática.

Em entrevista a Mario de Moraes, Ary definiu as três categorias de locutores esportivos de rádio: "1) O que vai na frente da bola e, portanto, tem que estar voltando toda hora; 2 ) O que vai junto com a bola e que acaba gaguejando, pois nem sempre a bola dá tempo para ele acompanhar o lance, deixando-o tonto; 3) O autêntico - o que vai atrás da bola. Não interessa a ele se vai dar o lance com 3 segundos de atraso, pois não está transmitindo para quem está ao seu lado. Dá a imagem do jogo, concluindo atrás do jogo. Nem junto, nem antes dela”.

Ary fez de tudo no rádio. Locutor esportivo, apresentador, comentarista, redator, ator, músico, produtor e diretor. Tinha diploma de curso superior, em Direito, Pelo projeto do Pastor Amarildo (aguardando a decisão do Presidente Lula) no dias de hoje, por não ser formado em Jornalismo, o Brasil seria privado de Ary Barroso, do turbilhão de seu talento.

Veja o texto da Lei:

 LEI Nº 11.327, DE 24 DE JULHO DE 2006
Institui o Dia do Radialista.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o Fica instituído, no calendário das efemérides nacionais, o Dia do Radialista, a ser comemorado no dia 7 de novembro, data natalícia do compositor,músico e radialista Ary Barroso.

Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 24 de julho de 2006; 185o da Independência e 118o da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
João Luiz Silva Ferreira